Artigo: Produtividade depende de equilíbrio entre lazer e trabalho

por Luciano Zorzal

Com o mercado cada vez mais competitivo, é comum as pessoas se sentirem obrigadas a trabalhar mais para manter o emprego ou conseguir a tão sonhada chance de crescimento na carreira. Contudo, quando entramos nesse fluxo de trabalho contínuo, por vezes, acabamos nos esquecendo dos nossos limites, o que pode ser considerado um erro bem grave.

Não é à toa que uma ideia sempre presente em biografias de pessoas de sucesso refere-se à importância do equilíbrio entre todas as áreas da vida, incluindo a espiritual, física, financeira, profissional, pessoal e emocional. Isso porque, mais do que trabalhar duro, para sermos bem sucedidos é imprescindível que tenhamos os melhores resultados. Uma tarefa que nem sempre está entre as mais fáceis.

Para gerar bons resultados é essencial combinar uma série de fatores como competência, planejamento, trabalho e inspiração. Sendo que essa última está intimamente correlacionada ao lazer. Pessoas tranquilas e descansadas são mais “inspiradas” do que as pessoas nervosas e estressadas.

Prova disso é a experiência realizada pela empresa americana de marketing e propaganda SteelHouse. Ao perceber que muitos funcionários deixavam de tirar férias e, por isso, perdiam produtividade, a companhia passou a pagar um bônus de 2 mil dólares anualmente para cada colaborador viajar durante suas férias, que podem ser tiradas de uma só vez ou dividida em pequenas viagens. A estratégia não poderia dar mais certo, logo após retornarem, era perceptível como os funcionários se tornavam mais produtivos e propensos a entregar os melhores resultados.

É claro que, em algumas fases da vida, uma carga extra de trabalho pode ser necessária, quando, por exemplo, estamos próximos da conclusão de um projeto importante. Porém, é muito difícil manter um longo período de trabalho mais pesado, sem perder qualidade. Por outro lado, algumas pessoas também possuem um ritmo muito abaixo do necessário, como as que se impõem limites abaixo do esperado pelas empresas, o que, definitivamente, pode comprometer suas carreiras.

Se você parar alguns minutos para analisar as pessoas à sua volta, poderá perceber que as que mais produzem e com melhor qualidade são as que, ao mesmo tempo, além de trabalharem, praticam esportes, participam de eventos sociais, realizam trabalhos voluntários, entre outras atividades.

Muitos dizem que, se você quer que alguma coisa se realize, peça para alguém ocupado. Pessoas “ocupadas” estão em um ritmo forte de realização e já aprenderam a se organizar e a priorizar suas tarefas. Já as pessoas “com baixa ocupação” possuem mais dificuldade em receber uma nova tarefa. Sistematicamente, criam verdadeiros obstáculos a realização de tudo que lhes é solicitado.

Mas, lembre-se que é preciso ter tempo para tudo, inclusive para pensar e descansar. Equilíbrio nunca é demais!

 

Luciano Zorzal é palestrante, consultor, diretor de expansão da Zorzal Franquias e sócio-fundador da Zorzal Consultores & Auditores Associados

Envie o seu comentário

Por favor, digite seu nome

Digite seu nome

Por favor, insira um endereço de e-mail válido

Digite um endereço de e-mail

Por favor, digite a sua mensagem

Revista Cipa © 2017 Todos os direitos reservados

Grupo Cipa Fiera Milano | Avenida Angélica, 2491 – São Paulo – Brasil - Tel: +55 11 5585.4355