Home Eventos Fórum em SP discute práticas de SST em serviços de saúde
0

Fórum em SP discute práticas de SST em serviços de saúde

0
0

Nesta quarta-feira (7), aconteceu na capital paulista a 2ª edição do Fórum Regional de Políticas e Práticas de SST em Serviços de Saúde. O presidente da Fundacentro, Paulo Arsego, participou da solenidade de abertura e destacou em seu discurso a importância da entidade estar sempre presente a eventos dessa natureza, reforçando o desenvolvimento e aprimoramento técnico-cientifico de pesquisas que preservam a saúde dos trabalhadores, especialmente o estresse, visto pelo presidente como uma das principais causas de adoecimento no ambiente de trabalho.

A primeira palestra, conduzida pelo auditor fiscal do trabalhao Albino Sampaio, coordenador da Comissão Tripartite Paritária Regional (CTPR-SP), e pelo médico José Carlos Carneiro, presidente da Associação Brasileira de Empresas de Saúde Segurança do Trabalho (Abresst), retratou o cenário da “Segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde: os 10 anos da NR-32”.

Na avaliação de Sampaio, diante das inspeções que são realizadas nas empresas, falta a identificação dos riscos biológicos como forma de promover a prevenção, preconizada na NR 32. No período de abril de 2014 a maio de 2015 foram autuadas 278 empresas somente no estado de São Paulo por não atenderem a norma, de acordo com dados do Sistema Federal de Inspeção do Trabalho (SFIT). Outro ponto levantado pelo auditor foi sobre o uniforme de trabalho muitas vezes levado para casa para ser lavado podendo causar contaminação. Além disso, Sampaio reforçou que o uso de adornos, tais como, gravata e brincos, podem interferir nos procedimentos que são realizados pelos profissionais da saúde. A ausência de capacitação e de um plano de proteção radiológica também foram destacados como desafios a superar.

Na análise do presidente da Abresst, os engenheiros encontram dificuldade para elaborar o PPRA e, que, em linhas gerais, os profissionais não estão preparados para lidar com situações de risco. Carneiro apontou como preocupante as equipes terceirizadas dos hospitais e um grande número de prestadores de serviços, e colocou como um desafio a gestão de terceiros no segmento hospitalar.

No período da manhã houve ainda a realização da mesa redonda “Capacitação dos trabalhadores de serviços de saúde: dificuldades e estratégias”, com Newton Lara, diretor administrativo da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt). A mesa foi composta por Marcelo Pustiglione (representante da CTPR NR-32); Sandra Cristine da Silva (profissional do Hospital Sírio Libanês) e Mário Bonciani (médico do Trabalho e Presidente da Associação Paulista de Medicina do Trabalho). As palestras foram coordenadas e mediadas por Juarez Correia Barros Junior, Engenheiro de Segurança do Trabalho.

A mesa redonda das 14h debateu o tema “Judicialização da doença e do acidente no setor da saúde”; “Ações dos gestores de SST”; “Ações da pericia médica da Previdência Social” e “O entendimento da Justiça do Trabalho”.

As demais palestras do dia abordaram ainda os temas “Experiências inovadoras e exitosas em ações de SST em serviços de saúde”; “Capacitação de trabalhadores de serviços de saúde”; “Relação médico do trabalho – pericia previdenciária”; “Gestão dos afastamentos e processo de retorno ao trabalho” e “Controle da tuberculose ocupacional”.

 

Com informações da Fundacentro

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *