Home Notícias Jornada excessiva é uma das principais causas de adoecimento entre rodoviários, diz médica
0

Jornada excessiva é uma das principais causas de adoecimento entre rodoviários, diz médica

0
0

imgA médica do trabalho da Fundacentro da Bahia, Cristiane Maria Galvão Barbosa colocou durante a realização do evento “O Trabalho Seguro: Condições de Trabalho dos Rodoviários da Bahia” que jornadas excessivas e falta de repouso são as principais causas de adoecimento entre rodoviários.

Durante sua apresentação, a médica esclareceu ainda sobre a emissão da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho), via empresa, sindicato, ou pelo próprio trabalhador e salientou as mudanças ocorridas com a adoção do nexo técnico epidemiológico, sistema adotado pela previdência para estabelecer relações de causa e efeito entre doenças ocupacionais e atividades profissionais específicas.

O evento, fruto de projeto de pesquisa da Fundacentro, sobre Condições de Saúde e Trabalho dos Trabalhadores Rodoviários na Região Metropolitana de Salvador, foi coordenado pelo tecnologista da instituição, Marcos Paiva e pela Desembargadora do TRT5, Lea Nunes, Cristiane e André Maia, técnicos da Fundacentro no estado da BA, além da participação ativa do sindicato da categoria e Ministério Publico do Trabalho.

No período da manhã, compuseram a mesa, a desembargadora Lea Nunes e o juiz do Trabalho, Gilmar Carneiro, representando a presidência do TRT5, a juíza Rosemeire Fernandes, Hélio Ferreira, presidente do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Alberto Balazeiro, procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT-BA) na Bahia e Romulo Almeida, procurador do MPT-BA.

A desembargadora Lea Nunes apresentou números de acidentes de trabalho no Brasil e no mundo e lembrou que as condições ocupacionais podem interferir no estado psicofisiológico dos motoristas. Esse estado comprometem as funções físicas e mentais, as quais são compostas pelo tempo de reação, audição, percepção de profundidade, visão periférica, agilidade para agir em uma determinada situação que possa ocorrer no trânsito; causando adoecimento, acidentes e até mortes.

Já a palestra do juiz Gilmar Carneiro, foi sobre o direito do trabalho e o direito previdenciário, relatando à plateia a evolução da legislação sobre esses temas. A juíza Rosemeire Fernandes em sua fala afirmou que o estresse é um dos fatores de formação do acidente de trabalho, principalmente por gerar déficit de atenção.

As outras palestras seguiram com o presidente do sindicato dos trabalhadores, Hélio Ferreira, que defendeu a redução da carga horária e a aposentadoria especial para a categoria. O procurador Alberto Balazeiro defendeu o endurecimento da fiscalização sobre as jornadas de trabalho de motoristas de empresas de transportes urbanos e de rodoviários de todo o país. Encerrando o período da manhã, o procurador Rômulo Almeida destacou a importância da parceria do MPT com a Fundacentro. “A colaboração entre os dois órgãos será fundamental para que o MPT tenha elementos concretos, baseados em estudos, para propor ações na Justiça que regularizem o meio ambiente de trabalho no setor de transportes”, avaliou.

À tarde foram realizadas palestras com o juiz do Trabalho, Agenor Calazans que proferiu palestra sobre Responsabilidade Civil do Empregador nos Acidentes do Trabalho. Marcos Paiva Matos, tecnologista e engenheiro de segurança do trabalho da Fundacentro Bahia, discorreu sobre os aspectos relativos à exposição a riscos ocupacionais e suas respectivas medidas de controle para os rodoviários.

O evento contou com público da categoria, permitindo debates de grande interesse na área de segurança e saúde dos trabalhadores, se estendendo para a população usuária, com cobertura da mídia local.

Realizado no auditório da Fundacentro em março, o evento contou com a participação do Tribunal Regional do Trabalho/BA (TRT5) e do Sindicato dos Rodoviários da região Metropolitana de Salvador.

Fonte: Fundacentro

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *