Meditação e Psicologia Positiva também trazem benefícios para o mundo corporativo

0

Por Renata Rivetti

Sabia que é possível melhorar a sua vida mesmo vivendo em um mondo tão volátil, incerto, complexo e ambíguo – o famoso VUCA (acrônimo das palavras em inglês Volatility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity)? Sim, apesar de todas as incertezas, inseguranças e falta de estabilidade é possível ter uma vida mais tranquila, calma e harmoniosa e você pode conseguir tudo isso através do Mindfulness – um dos estados naturais da mente.

A psicologia positiva foi criada no final da década de 90 pelo professor Martin Seligman, fundador do Centro de Psicologia Positiva da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Ao invés de focar em doenças e outros problemas dos pacientes, Seligman começou a investigar protocolos de saúde e construtos de felicidade, fazendo com que outros estudos sobre temas semelhantes ganhassem força.

Surgiram então milhares de pesquisas sobre otimismo, positividade, gratidão, inteligência emocional, entre outros. E a ciência começou a comprovar como essas ferramentas – como a meditação – podem melhorar as nossas vidas, reduzir a ansiedade e o estresse, aumentar a nossa qualidade de vida, além de trazer benefícios como criatividade, resiliência e produtividade.

Um dos estudos que merece citação foi promovido por cientistas da Universidade de Wisconsin, também nos Estados Unidos, que estudaram o cérebro do monge budista tibetano francês Matthieu Ricard. Os pesquisadores comprovaram que a meditação havia mudado partes do cérebro do monge, tornando-o muito mais satisfeito, menos apegado a emoções tóxicas, entre outros benefícios. E ele recebeu o título de “homem mais feliz do mundo”.

Nesse momento você deve estar pensando: “ele é um monge, muito distante da minha realidade!” Será que a meditação é mesmo uma prática para todos? A resposta é: definitivamente sim! A prática é para todos, não há mistérios, apenas treino.

Nas empresas e no mundo corporativo, será que a prática também ajuda? Claro que sim! Aqui vale citar mais um case interessante: a história do engenheiro de computação Chade Meng-Tan, que levou o Mindfulness para o Google.

Meng criou o “Search Inside Yourself” (“procure dentro de você”) como um treinamento interno para os funcionários do Google, mas ele deu tão certo que, em 2012, devido à alta demanda por organizações externas, o programa foi desmembrado para dar lugar a um instituto educacional independente e sem fins lucrativos, que foi chamado de Instituto de Liderança Search Inside Yourself (SIYLI), além de ter virado um best-seller.

Mas por que um engenheiro de computação decidiu praticar e levar o Mindfulness para o mundo corporativo? Segundo Chade-Meng Tan “a felicidade gera o sucesso, e não o contrário”.

O Search Inside Yourself conquistou diversos líderes, que perceberam que o estado de atenção plena melhora a produtividade e, consequentemente, os resultados financeiros. Quando fiz as aulas do SIY também confirmei que diversos Heads e CEO’s estavam buscando um novo estado de atenção plena e consciente, mesmo que ainda sem muita certeza de como isso seria na prática.

Bom, se depois de todo esse texto você ainda acha que se trata de algo distante da sua vida, posso garantir que o mindfulness traz muitos benefícios. Sou praticante da meditação há 12 anos e percebo que me sinto muito mais tranquila, segura, confiante e otimista.

Sou formada em administração pela FGV-EAESP e trabalhava com marketing, lidando diariamente com o estresse e a ansiedade. Foi então que decidi começar a praticar a meditação até perceber os resultados e entender que todos nós podemos meditar.

É preciso prática constante e não apenas ler sobre o assunto. O mindfulness é bem simples e inato, é respirar de forma consciente e atenta. Mas precisa ser feito com dedicação

Renata Rivetti é instrutora de Mindfulness pelo MTi (Mindfulness Trainings International), fundadora e diretora da Reconnect | Happiness At Work.

 

Leave A Reply

Your email address will not be published.