IAC-Quepia, de avaliação de EPIs agrícolas, completa 15 anos

0

O Brasil, hoje, está entre as referências globais em suporte à produção fabril e ao desenvolvimento de estudos para vestimentas protetivas agrícolas – abrangentemente conhecidas como EPIs. Há 15 anos, no entanto, nem sequer existiam no País normas técnicas que permitissem analisar a qualidade e a segurança desses produtos.

Esse panorama começou a mudar em 2006, com o Programa IAC de Qualidade de Equipamentos de Proteção Individual na Agricultura, conhecido como IAC-Quepia. O programa nasceu do encontro de um grupo de companhias fabricantes de vestimentas agrícolas e o Instituto Agronômico (IAC) com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

“O ‘Quepia’ se converteu em um dos primeiros programas de parceria público-privada associados à pesquisa agrícola. Seus resultados respaldam a relevância estratégica do modelo”, afirma Hamilton Ramos, pesquisador do Centro de Engenharia e Automação (CEA), do Instituto Agronômico (IAC). O programa funciona desde o surgimento dentro da área do CEA, na cidade de Jundiaí (SP).

Com a ajuda do programa, as reprovações de vestimentas agrícolas protetivas brasileiras caíram de 80%, em 2010, para menos de 20% nos dias de hoje. O uso do EPI agrícola, vale lembrar, é essencial para proteger a saúde do trabalhador durante a aplicação de agrotóxicos nas lavouras. Ao contribuir para reduzir o contato direto entre o agricultor e os produtos químicos, o equipamento colabora para diminuir os problemas de saúde decorrentes dessa interação.

“Trata-se de um ganho enorme. Isso fortaleceu a proteção do trabalhador rural e deu base técnica para que o Ministério de Trabalho, em 2009, extinguisse o Certificado de Aprovação (CA) por responsabilidade, obrigando a indústria a buscar certificações com base em normas da ISO – International Standartization Organization – para seus produtos”, diz Ramos.

Próximos passos

Com 15 anos completados em maio, o IAC-Quepia investe agora para estender sua abrangência à pesquisa. Quer, por exemplo, avaliar a qualidade de luvas protetivas e elaborar metodologia para verificar resíduos de produtos em vestimentas após sua vida útil. O laboratório do programa, em Jundiaí, deverá receber ainda este ano seu certificado de Acreditação Internacional, que o colocará em um grupo restrito de unidades aptas a realizar mais de 25 testes de certificação baseados em normas da ISO.

Deixe uma Resposta

Seu comentário aguarda moderação.

VOCÊ GANHOU UM CUPOM DE DESCONTO!

Utilize o CUPOM CIPA10 e tenha 10% de Desconto na Assinatura de qualquer Plano da Revista Cipa & Incêndio.

USAR MEU CUPOM CIPA10
* Promoção válida para pedidos realizados até o dia 31.05.2021. Essa promoção não é válida para quem já é assinante da revista e não é cumulativa com outras promoções.
close-link